segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

MUSIC HALL 
Ancorada no seu banquinho e nas suas recordações, uma artista de music-hall recorda sem descanso a vida que levou, noite após noite, com um público cada vez mais rude e desinteressado. Tentando sobreviver nos arrabaldes cinzentos, essa senhora e seus dois auxiliares agarram-se como podem a um mundo que os rejeita, na vaga esperança de reencontrarem um lugar, uma réstia de glória, um projetor de luz que os tire do anonimato.
Através desta metáfora, o autor Jean-Luc Lagarce interroga-se sobre o sentido do destino humano. «Afinal de contas, não estaremos todos nós confrontados, inclusive fora do palco, com o êxito, o fracasso, a dúvida e a incompreensão total ? » questiona o diretor.



Teatro Carlos Alberto
De 13 de Fevereiro a 1 de Março
Quarta- 19H00
Quinta a sábado- 21H00
Domingos- 16H00

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A Farsa dá voz à personagem Candidinha, um ser marginalizado pela sociedade em quem, sob a farsa da submissão, se condensa um discurso de ódio, de inveja e de maldade.

Candidinha alberga todas as raivas do mundo. E ódios acumulados. De mão estendida e coração de dor vai correndo as casas das patroas, as ruas da aldeia, e os montes agrestes. Um mundo pequenino, apertado, sombrio, onde a loucura da fome asfixia o futuro. Este não é um texto sobre ter alguma coisa. Este é um texto sobre o não ter nada.


terça-feira, 24 de junho de 2014

         A Farsa a partir da obra de Raul Brandão 

A Farsa dá voz à personagem Candidinha, um ser marginalizado pela sociedade em quem, sob a farsa da submissão, se condensa um discurso de ódio, de inveja e de maldade.

Candidinha alberga todas as raivas do mundo. E ódios acumulados. De mão estendida e coração de dor vai correndo as casas das patroas, as ruas da aldeia, e os montes agrestes. Um mundo pequenino, apertado, sombrio, onde a loucura da fome asfixia o futuro. Este não é um texto sobre ter alguma coisa. Este é um texto sobre o não ter nada.
de 27 a 29 de Junho
De 10 a 21 de Setembro
22H00     M/12 anos
preço único: 5 euros




Mala voadora. rua do Almada, 277- Porto
informações: asboasraparigas@gmail.com


encenação António Júlio.  Dramaturgia e adaptação Raquel S. cenografia e figurino Cátia Barros. luz Nuno Meira. sonoplastia Luis Aly. com Maria do Céu Ribeiro.fotografias de divulgação Paulo Pimenta. imagem gráfica Sara Pazos  gestão programação e produção Carla Miranda

domingo, 4 de maio de 2014

"Peça do dramaturgo francês Rémi De Vos, Ocidente disseca até ao osso o drama de um casal em decomposição. Concentrando-se na célula matricial da nossa sociedade – o casal, a família –, e tomando-a como um microcosmos daquilo que nos habituámos a designar por “Ocidente”, este texto de 2005 evoca pequenas misérias humanas, devaneios do quotidiano, esperanças perdidas." Esta produção é do Ao Cabo Teatro com companhia As Boas Raparigas e Centro Cultural Vila Flor. Ocidente de Rémi De Vos encenação Victor Hugo Pontes 9-18 maio | Teatro Carlos Alberto

quinta-feira, 23 de maio de 2013

"Duas Senhorinhas Rumo ao Norte" de Pierre Notte


                                          "Duas Senhorinhas Rumo ao Norte"  de Pierre Notte
                                                 Maria do Céu Ribeiro e Carla Miranda


Créditos: Paulo Pimenta

Vídeo Promo - "Duas Senhorinhas Rumo ao Norte" de Pierre Notte